Rede MPL:
Página 1 de 2 12 ÚltimaÚltima
A mostrar resultados 1 para 30 de 50

Título: L-Carnitina

  1. #1
    Senior Member claudiozarcos's Avatar
    Data de Registo
    Mar 2008
    Localização
    Madeira
    Posts
    199

    Post L-Carnitina

    A L-Carnitina é um nutriente de extrema eficiência utilizado por pessoas que procuram não perder tempo na hora de melhorar o condicionamento físico. Por proporcionar uma variedade de benefícios para o corpo, ela acaba funcionando como um mix que ajuda o corpo a produzir mais energia, colabora para a perda de peso, aumenta as defesas imunológicas, atua no desenvolvimento das faculdades mentais, e ainda abaixa os níveis de colesterol e triglicerídeos.

    1. O que é a L-Carnitina:

    A L-Carnitina é um nutriente que fornece todos os benefícios mencionados acima e muito mais. Apesar da L-Carnitina ser uma substância natural, fabricada pelo próprio corpo, ela também pode ser consumida através de cápsulas, composição líquida ou através dos alimentos, pois também é encontrada na proteína animal. Infelizmente, a L-Carnitina não é uma substância muito conhecida e, frequentemente, passa despercebida para pessoas interessadas em complementar sua dieta com nutrientes saudáveis.

    Os vegetarianos geralmente não consomem esta substância em sua dieta. Por isso, eles precisam de maiores quantidades da L-Carnitina do que aqueles que consomem proteínas animais.

    2. Como a L-Carnitina é produzida:

    O corpo produz L-Carnitina naturalmente. Esse processo acontece através da Lisina, da Metionina, da Vitamina C, Vitamina B3, Vitamina B6 e do Ferro. Portanto, tecnicamente, ela não é considerada um "nutriente essencial". A L-Carnitina não é produzida em grande quantidade. Por isso, para aumentar suas potencialidades benéficas é recomendada a ingestão de suplementos com a substância.
    Não há contra-indicações ao uso da L-Carnitina, pois ela não é uma substância tóxica. A maioria dos adultos consome cerca de 50 mg por dia em uma dieta balanceada, o que não é considerado suficiente.

    3. Qual é a função da L-Carnitina:

    "Sua função é servir como veículo para a transferência da gordura corporal, seguida pela beta-oxidação. A interrupção das funções normais da L-Carnitina leva a hepatite, ao aumento da gordura muscular e afeta os sintomas neurológicos. Essas desordens podem ser corrigidas através de suplemento com os nutrientes apropriados. Dessa forma, a L-Carnitina deve ser adicionada a lista dos nutrientes essenciais." (Simpósio de nutrientes essenciais.)

    4. Como a Carnitina age no seu corpo:

    A Dra. Mary Eades, ao descrever a Carnitina disse: "A forma mais clara de ver a Carnitina agindo no seu corpo é através da queima de gordura, que gera a energia necessária para o funcionamento dos músculos e do coração. A gordura queimada pelo organismo deve ir para a mitocôndria, onde ocorrem as atividades químicas dentro das células. A Carnitina carrega estas moléculas de gordura até a mitocôndria para serem queimadas lá. Sem Carnitina suficiente, as moléculas de gordura não entram na mitocôndria e acabariam retornando para o sangue, o que causaria o aumento do número de triglicerídeos".

    A L-Carnitina também promove o aumento do "bom" colesterol (HDL), ajudando a manter as artérias coronárias livres da placa. O que também pode ajudar a baixar a pressão arterial.

    5. A L-Carnitina como auxílio na queima da gordura corporal e na perda de peso:

    A L-Carnitina faz parte do mecanismo que transporta a gordura corporal para a mitocôndria. Mitocôndrias são componentes físicos existentes em nossas células, responsáveis por queimar a gordura corporal através de dietas e exercícios. Uma vez que a gordura é transportada para a mitocôndria, ela é convertida em energia para o corpo. A L-Carnitina também aumenta a função do fígado.

    Robert Craydon, autor do livro: "O milagre da Carnitina" afirma: "Não espere que a Carnitina sozinha faça milagres. Ela é capaz de promover a perda saudável e permanente de peso se houver a combinação de um programa de exercícios, uma dieta rígida e a ingestão de 500 a 2000 mg por dia da substância. Além disso, a Carnitina se tornou essencial numa dieta pobre em carboidratos "

    6. Dose diária recomendada:

    Robert Craydon, continua, "Para a perda de peso e aumento da imunidade, comece com 500 mg por dia, que devem ser tomadas de estômago vazio, pela manhã, antes do café. Eu não recomendo mais que 3 gramas por dia. A dose ideal vai de 500 mg a 2 gramas por dia. A Carnitina não deve ser tomada antes de dormir, porque os níveis de energia podem aumentar, o que pode acabar provocando uma insônia".

    7. Existem dois tipos de Carnitina:

    Existem dois tipos de Carnitina: a L-Carnitina e a D-Carnitina. As iniciais "D" e "L" referem-se as orientações dadas as moléculas químicas. A molécula "D" (ou dextro molécula) possui rotação para a direita. Mudando a rotação, mudam as propriedades químicas. Esse é o caso da D-Carnitina. Ela não é recomendada para o consumo humano e não está presente nos alimentos, diferente da L-Carnitina.



    1- Será que dá mesmo resultado comprar um L-Carnitina para ficar com um corpinho esculpido?

    2- Qual é na vossa opinião a melhor e a mais eficiente.

    3- Devemos tomar por quanto tempo, e, ou fazer pausaas mensais?



    Aqui vos deixo umas pequenas perguntas para umas grandes discussões.

  2. Links Patrocinados:
  3. #2
    Senior Member Miguel's Avatar
    Data de Registo
    Nov 2007
    Localização
    Lisboa
    Posts
    552

    Por Defeito

    Ja li mts estudos e opinioes sobre a L - Carnitina, e posso concluir q esse texto e mt bonito mas é para interesse da entidade q o escreveu ou seja puro marketing.

    N desminto alguns dos seus beneficios mas ng pense q por tomar L carnitina fica se c um corpo de modelo !

    Ha uns dias postei no forum um site c um estudo interessante !

  4. #3
    Senior Member claudiozarcos's Avatar
    Data de Registo
    Mar 2008
    Localização
    Madeira
    Posts
    199

    Por Defeito

    Irei procurar, ou neste caso poderias por o LINK desse post para o pessoal comparar..

  5. #4
    Senior Member
    Data de Registo
    Feb 2008
    Posts
    226

    Por Defeito

    Eu ja li um artigo do site PubMed, e penso que o tenho aqui no pc, que provava que a L-carnitina em suplementos nao faz rigorosamente nada...
    Para que fizesse alguma coisa tinha de ser tomada em grandes quantidades e de uma forma que não está presente no mercado.

    A L-carnitina faz efeito a que produzimos pelo organismo.
    Como foi dito, a L-carnitina é um transportador, mas nao é mais do que isso, um transportados, nao faz milagres, e sozinha nao faz nada, ao contrario da creatina que nao precisa de mais intervenientes.
    Para que percebam melhor passo a explicar:
    A tranformação dos Lipidos em Glicidos passa por um conjunto de reacções chamado beta-oxidação.
    Uma das fases da beta oxidação, e repito, uma das muitas fases, é a reacção Acil-CoA(coenzima A) + Carnitina------> Acil-carnitina + CoA. Esta reacção é catalizada pela enzima carnitina acil-transferase I. A CoA é utilizada posteriormente para formar Acetil-CoA que vai entrar no ciclo de Krebs etc etc...

    O que aqui quis dizer é que , nao interessa se temos mais carnitina, porque se nao tivermos mais Acil-CoA e se a enzima catalizadora da reacção nao for mais eficiente, a carnitina nao vai fazer nada....
    É como ter mais autocarros, mas os mesmo condutores e o mesmo gasoleo. O que acontece é que os autocarros ficam estacionados, encostados a boxe por falta de condutores...

    O que acontece, é que um genio qualquer achou que pelo facto da L-carnitina participar neste ciclo e por ser possivel produzir L-carnitina sinteticamente, isso iria ajudar nem que seja a ganhar dinheiro. E na verdade é a unica coisa que faz. Ajuda aqueles que a vendem a ganharem dinheiro...

  6. #5
    Senior Member Miguel's Avatar
    Data de Registo
    Nov 2007
    Localização
    Lisboa
    Posts
    552

  7. #6
    Senior Member Nephilim's Avatar
    Data de Registo
    Nov 2007
    Posts
    2,135

    Por Defeito

    Ouvi dizer que essa treta tira é a tesão ao fim de algum tempo...

  8. #7
    Senior Member Miguel's Avatar
    Data de Registo
    Nov 2007
    Localização
    Lisboa
    Posts
    552

    Por Defeito

    L- Carnitina
    Paulo Gentil
    20/06/2002

    Uma pequena explicação bioquímica

    Para a gordura ser “queimada” ela deve ser dissociada em ácidos graxos e glicerol. O glicerol é metabolizado pela mesma via que a glicose, já os ácidos graxos passam por diversas reações até serem metabolizados nos mitocôndrias. O primeiro passo para “queima” dos ácidos graxos é sua conversão em acil-CoA que deverá penetrar no mitocôndria, porém existe um pequeno problema: a membrana mitocondrial é impermeável a essa substância, o que impede sua entrada espontânea e conseqüente degradação. A Carnitina surge exatamente para solucionar esse impasse, se ligando ao radical acila da acil-CoA e levando-o para dentro do mitocôndria, onde há outra coenzima A (CoA) que o recebe e dá prosseguimento às reações.

    Na prática (para perda de gordura)

    Traduzindo, a Carnitina é quem realiza o transporte dos derivados da gordura para dentro dos mitocôndrias, onde eles serão oxidados. Ao tomar conhecimento destas reações, alguns entusiastas da indústria farmacêutica apressaram-se em produzir e vender Carnitina, afirmando que sua ingestão aumentaria a degradação de lipídeos e ajudaria a queimar a indesejável gordura localizada. Esses compostos receberam o sugestivo nome de Fat Burners (Queimadores de gordura).

    O que parece lógico no raciocínio linear é duvidoso e até certo ponto infantil na sistemática bioquímica. Tendo em visto que o catabolismo do tecido gorduroso possui um grande número de reações, catalizadas por diversas enzimas e reguladas por incontáveis fatores, seria demasiado simplista achar que a Carnitina sozinha influenciaria toda essa cadeia de reações sem que os outros passos fossem alterados. Outro ponto a ser colocado é o fato dos tecidos animais saudáveis já possuírem quantidades mais que suficientes de Carnitina para manter as reações em andamento, não sendo esse o motivo de maior ou menor queima de gordura.

    Analisando o uso de carnitina

    Para analisarmos a suplementação da carnitina devemos começar da ingestão em si. Em primeiro lugar deve-se ter em mente a enorme distância fisiológica entre a ingestão do suplemento e o aumento de sua concentração nos músculos. É um caminho tão longo e incerto que diversos autores afirmam que a suplementação de carnitina tem pouco efeito em sua concentração muscular (BASS, 2000; BRASS et al, 1994, VUKOVICH et al, 1994; BARNETT et al, 1994). Em condições normais a carnitina exógena é quase toda eliminada pela urina (OHTANI et al, 1984), e o pior de tudo é que esse pouco que porventura venha a cair na circulação, dificilmente entrará no músculo (BRASS, 2000). Além dessas questões fisiológicas, há outras ainda mais obscuras, como a qualidade dos suplementos. Em um estudo de 1993, MILLINGTON et al verificaram que a média de quantidade de carnitina nos suplementos analisados era apenas 52% do escrito nos rótulos!! Ou seja, se tomando a carnitina em si já e difícil que ela chegue no músculo, imagina tomando farinha...

    Mesmo que tomássemos a carnitina verdadeira e ela de fato chegasse ao músculo, ainda restaria um pergunta: por que tomar? Considerando que há pouca perda de carnitina (perto de 90% dela é reabsorvida pelos rins), concluiremos que deficiências na quantidade de carnitina são muito raras, sendo vistas apenas em algumas doenças hereditárias incomuns. Por esses e outros fatores não há como afirmarmos nada positivo em relação ao uso de uso de carnitina com fins estéticos.

    Na prática para performance

    Supôs-se também que a suplementação da carnitina ajudaria na performance das atividades de endurance por aumentar o consumo de gorduras e poupar o glicogênio muscular, porém não há nenhum estudo relacionando a falta de carnitina à fadiga. Além disso, deve-se ter em mente que o mecanismo de fadiga ainda não é totalmente compreendido, e a falta de glicogênio certamente não é o único fator envolvido.

    Apesar de estudos de longa duração terem verificado alterações enzimáticas sugestivas, os únicos casos onde se comprovou a melhora na performance de atividades físicas foram em condições patológicas como doenças renais (AHMAD et al, 1991), vasculares (BREVETTI et al, 1988) e síndrome de fadiga crônica (PLIOPLYS et al, 1997).

    Concluindo

    - Apesar de haver inúmeros estudos sobre o uso de carnitina, não é possível dizer que sua suplementação traz benefícios para pessoas saudáveis, sejam estéticos ou de performance (HEINONEN, 1996; BRASS, 2000).

    - O uso de carnitina embasa-se apenas em alguns estudos animais e in vitro (DUBELAAR et al, 1991; BRASS et al, 1993), não havendo possibilidades de extrapolação em humanos.

    - As pesquisas feitas usaram doses de até 5 gramas e continuaram sem obter resultados, portanto eu não recomendaria o uso deste aminoácido a menos que você se encontre em uma condição patológica.

  9. #8
    Junior Member
    Data de Registo
    Nov 2007
    Posts
    25

    Por Defeito

    EU tneho vindo a treinar com toma de L-carnitina. MAs pelos vistos ao depararme com esta post apercebo-me q de nada vale gastar o meu dinheiro nesse suplementp. Por isso peço-vos informação para algum sumplemento q possa tomar para ajudar na queima de gorduras, um q aconselhem ou q seija conhecido no mercado pelos seus efeitos positivos e seguros.

  10. #9
    Senior Member
    Data de Registo
    Apr 2008
    Posts
    537

    Por Defeito

    nunca tomei nada,mas o que dizem no ginásio(pois eu não percebo nada disso) é que esta subtancia é a única que não tem efeitos secundários negativos,portanto se assim for mal não deve fazer!

  11. #10
    Senior Member
    Data de Registo
    Feb 2008
    Posts
    226

    Por Defeito

    Tem na verdade um efeito secundario muito grave nos dias que correm, "emagrece" a carteira...
    Nao faz mal,mas tambem nao traz beneficios...do que é que serve gastar dinheiro nisso?? Poupem pro combustivel...

  12. #11
    Senior Member
    Data de Registo
    Dec 2007
    Posts
    476

    Por Defeito

    L-Carnitina na visão de:
    Paulo Armada da Silva
    Professor Auxiliar na Faculdade de Motricidade Humana

    Seria errado afirmar que os efeitos da ingestão de L-carnitina são um mito. A L-carnitina é uma substância essencial para o normal funcionamento do organismo humano e este é capaz de a sintetizar no fígado, rim e sistema nervoso, utilizando para isso os aminoácidos lisina e metionina. A L-carnitina foi inicialmente identificada por cientistas russos no músculo no início do século XX, daí a sua designação derivar do termo Latino carnis. No âmbito do desporto, a L-carnitina tornou-se popular como suplemento nutricional, por supostamente melhorar o rendimento dos atletas. Rumores de que a selecção italiana de futebol vencedora do Mundial de futebol de 1982 utilizou a L-carnitina como suplemento ergogénico contribuíram para aumentar o seu consumo. Não alheio ao elevado consumo da L-carnitina é também o facto de não serem conhecidos efeitos nocivos da sua ingestão. Extrapolando as doses tóxicas em animais, a L-carnitina seria letal no homem numa quantidade acima das quinhentas gramas por dia, o que naturalmente excede grandemente as quantidades ingeridas como suplemento.

    Para além de produto de venda livre, a L-carnitina tem indicações terapêuticas em situações de doença congénita ou por outras causas, caracterizadas por uma carência grave neste constituinte orgânico. Nos indivíduos saudáveis a L-carnitina é muitas vezes entendida como capaz de facilitar a perda de peso, razão que tem levado à introdução da L-carnitina nos produtos alimentares destinados ao consumo geral, as bolachas que referiu na sua questão. Outros efeitos que têm sido atribuídos à L-carnitina incluem acção anti-oxidante e destoxificante, acção anti-inflamatória e de estimulação do sistema imunitário e efeito anti-anémico. Estas acções poderão ser importantes para compensar alguns efeitos negativos decorrentes de um treino físico intenso.

    Os efeitos da ingestão de L-carnitina são explicados com base no papel essencial que desempenha na utilização dos chamados lípidos ou gorduras para a obtenção de energia. Os lípidos são, em geral, de dimensão elevada e requerem a presença de L-carnitina nas células para que se efectue o seu transporte para o interior das mitocôndrias, os locais da célula onde os lípidos e outros nutrientes são convertidos em energia. Aumentar a conversão dos lípidos em energia, ou numa linguagem mais técnica, aumentar a taxa de oxidação dos lípidos, poderá, à partida, melhorar a capacidade de realizar exercício e facilitar a perda de peso.

    A principal fonte de L-carnitina é a alimentação, sendo a L-carnitina mais abundante nos alimentos de origem animal, tais como carne e produtos derivados do leite. Por seu lado, os vegetais são pobres em L-carnitina. A L-carnitina, no entanto, não constitui um nutriente essencial, uma vez que é sintetizada no organismo em quantidades suficientes para assegurar as suas funções biológicas. Num individuo médio de 70 kilogramas de peso, a quantidade de L-carnitina ingerida diariamente varia entre valores abaixo das 11 miligramas e as 200 miligramas, dependendo do tipo de dieta. Em igual período de tempo a quantidade de L-carnitina sintetizada pelo organismo varia entre 10 e 20 miligramas. A quantidade total de L-carnitina no corpo humano ronda as 20 gramas, 19 das quais armazenadas no interior dos músculos. No músculo esquelético, a concentração de L-carnitina é cerca de cem vezes superior à do sangue.

    O aproveitamento da L-carnitina ingerida é baixo. A barreira criada pelo aparelho digestivo à absorção da L-carnitina e a sua rápida eliminação na urina, fazem com que apenas 8% da quantidade ingerida seja utilizada pelo organismo. Em consequência disto, a quantidade de L-carnitina que deve ser ingerida diariamente na forma de suplemento alimentar situa-se entre 2 e 4 gramas, habitualmente repartidas por três tomas ao longo do dia. Assim, a ingestão de duas gramas de L-carnitina aumenta em apenas 160 miligramas o total de L-carnitina existente no organismo. A ingestão de doses acima das quatro gramas pode estar associada a distúrbios intestinais, mais frequentemente diarreia.

    Para que o aumento estável da quantidade sanguínea de L-carnitina ocorra, é necessária cerca de uma semana de ingestão continuada do suplemento. Para que o mesmo se verifique no músculo, o período de ingestão terá de ser muito acima daquele. Num estudo publicado em 2002 verificou-se que a ingestão L-carnitina por um período de três meses (4 gramas/dia) não alterou a quantidade de L-carnitina em reserva no músculo, embora tenham existido aumentos das quantidades no sangue e na urina. Ainda de acordo com dados experimentais, após seis meses de ingestão de L-carnitina (2 gramas/dia), a sua quantidade no músculo aumentou 10%. Em termos relativos, aquele valor poderá subir se considerarmos que ao longo dos seis meses os sujeitos a quem não foi fornecida a L-carnitina apresentaram uma diminuição do teor muscular nesta substância, igualmente de 10%, em resultado do treino efectuado ao longo daquele período. Isto sugere que poderá ser necessário um acréscimo do aporte alimentar de L-carnitina durante os períodos de treino intensificado, de modo a prevenir a diminuição das reservas musculares. No entanto, apenas um regime intenso e prolongado de maior aporte diário de L-carnitina, na forma de suplementos nutricionais, é eficaz naquele efeito.

    A eficácia da ingestão de suplementos com L-carnitina é também condicionada pelo facto de a sua quantidade no músculo saudável ser muito superior à necessária para que a utilização máxima das gorduras esteja assegurada. A debilidade muscular manifesta-se quando a L-carnitina no músculo se reduz para 20% do normal. Em condições habituais esta situação não ocorre. Apesar dos argumentos que contrariam uma acção benéfica da L-carnitina, esta tem sido observada em alguns casos, em particular na capacidade de suportar exercícios de intensidade elevada, ou seja próximos da intensidade máxima de cada indivíduo. No entanto, existem muitas ocasiões em que este efeito não é registado.

    Para além de importante no músculo, a L-carnitina contribui para o bom funcionamento de outros órgãos, tais como fígado, órgão central na regulação do metabolismo, e sistema nervoso, donde é possível que a L-carnitina possa melhorar a capacidade de suportar esforços físicos, ou de ajudar na recuperação após o esforço, através de mecanismos que não dependem da acção directa sobre o músculo. Contudo, alguns desses efeitos serão relevantes apenas nas situações de carência orgânica, e outros são ainda especulativos.

    Para a maioria dos consumidores, o interesse nos produtos com L-carnitina residirá no desejo de perder peso. O consumo destes produtos não constitui um risco imediato para a saúde mas também não existem indicações de que sejam eficazes no emagrecimento. O papel da L-carnitina nas funções orgânicas gerais poderá levar a pensar que ela intervenha no restabelecimento do equilíbrio do organismo, por exemplo alterando a secreção hormonal, e assim facilitar a perda de peso. Existe também a possibilidade de a L-carnitina, por acção sobre o sistema nervoso, regular o apetite. Porém, estes efeitos não estão ainda comprovados por estudos científicos. Dado que a obesidade é um problema complexo, afirmar de forma simplista que a L-carnitina poderá ser a solução desse problema é negativo e pode contribuir para agravar sentimentos de frustração e de baixa auto-estima, tão frequentes nestas pessoas.

    É justo que se diga que a investigação sobre a L-carnitina não permite negar totalmente a sua eficácia e uma vez possível algum efeito da ingestão da L-carnitina na capacidade de exercício, atletas com elevada exigência competitiva poderão beneficiar com a sua ingestão. Nas pessoas saudáveis e que praticam actividade física com objectivos de recreação e manutenção da condição física e da saúde mas sem pressão competitiva, o eventual efeito da ingestão de L-carnitina na capacidade física, cuja magnitude é seguramente reduzida, é irrelevante e não justifica a adopção de um regime particular de uso de suplementos desta substância. Uma alimentação equilibrada será suficiente para assegurar as necessidades do organismo em L-carnitina. Acresce o facto de a quantidade elevada de L-carnitina necessária para assegurar a sua eficácia tornar seguramente cara a sua utilização como suplemento alimentar.

  13. #12
    Senior Member
    Data de Registo
    Dec 2007
    Posts
    476

    Por Defeito

    Segundo um estudo recente 2007, o que é diferente de um artigo de opinião, o que é o que está em cima na minha quote do post anterior e nuns posts acima artigo de opinião de Paulo Gentil com 6 anos.

    Estudo baseado em pessoas (não animais como muitos são apresentados), houve efectiva redução de gordura corporal em pessoas de idade avançada o que é preciso ter em conta este factor limitativo na actividade fisica.

    L-carnitina associada à melhoria da função mental em centenários

    Um recente estudo italiano, que contou com a participação de 66 indivíduos com mais de 100 anos de idade, sugere que a suplementação com L-carnitina pode levar à melhoria da performance cognitiva, da fadiga e da massa muscular total.
    A população centenária é caracterizada por uma fraqueza geral, saúde mental diminuída, mobilidade e equilíbrio comprometidos e baixa resistência (...) O nosso estudo indica que a administração oral de levocarnitina provoca uma redução da massa adiposa total, aumento da massa muscular total e facilita um aumento da capacidade para actividades físicas e cognitivas, através da redução da fadiga e da melhoria das funções cognitivas“, afirmaram os investigadores da Universidade de Catania.

    A L-carnitina desempenha um papel importante na produção de energia celular, para além de ser necessária para o transporte de ácidos gordos de cadeia longa, como os omega-3, através da membrana mitocondrial.

    Entre todas as substâncias cuja concentração diminui com a idade, a diminuição da L-carnitina é fundamentalmente importante, devido à sua função na produção de energia”, explicaram.

    Os investigadores recrutaram 66 homens e mulheres com idade média de 101 anos para participarem no estudo. Os participantes, que apenas revelavam sinais de fadiga após a prática de actividade física ligeira, foram seleccionados aleatoriamente para receberem um suplemento diário de 2g de L-carnitina ou placebo, durante 6 meses.

    Os investigadores verificaram que, após os 6 meses, a suplementação com L-carnitina estava associada a reduções significativas na massa adiposa, quando comparada com o placebo. De facto, o grupo suplementado revelou uma perda de 1,6 kg de gordura corporal, enquanto que o grupo placebo revelou um aumento de 0,6 kg.

    A massa muscular total aumentou mais 3 kg no grupo suplementado do que no grupo placebo. Para além disso, as medicões da fadiga, obtidas através de um teste de 6 minutos de caminhada numa passadeira, diminuíram após a suplementação com L-carnitina. A performance cognitiva, medida utilizando o Mini-Mental State Examination de 30 pontos (MMSE), revelou um aumento de 4,1 pontos no grupo suplementado, em comparação com o grupo placebo, que apenas aumentou 0,6 pontos.

    Embora os investigadores tenham detectado algumas limitações do seu estudo, concluíram que a administração do suplemento revelou benefícios relacionados com a performance física e mental numa população com elevado risco de tais declínios.
    Fonte: American Journal of Clinical Nutrition, 2007, 86: 1738-1744.

  14. #13
    Senior Member
    Data de Registo
    Apr 2008
    Posts
    537

    Por Defeito

    bem,fiquei na mesma...

  15. #14
    Member
    Data de Registo
    Jul 2008
    Posts
    60

    Por Defeito

    mesmo xD pa e naquela pelo ultimo estudo se influenciou pessoas com 100 anos a nos tb ha de benefeciar xD eu nao preciso tenho um BF de 6,3% perciso e de mais xD
    LOOL!
    Mas quem tem elevados niveis de BF exprimente nao sei ...

  16. #15
    Senior Member
    Data de Registo
    Dec 2007
    Posts
    476

    Por Defeito

    Pois é verdade, existem opiniões a favoráveis e outras não.

    Contudo quem pretender emagrecer, não deverá esperar que a L-Carnitina faça o trabalho sozinha... no prato está o 1º ponto de partida, principalmente o saber comer, o exercicio vem logo de seguida.

    Quanto à L-Carnitina na minha opinião esta pode ser incluida se a redução de gordura ficar estagnada durante algum tempo e aí sim poderá ser uma ajudinha mais que não seja a nivel psicológico e um factor de motivação, até porque é um suplemento relativamente barato.

  17. #16
    Senior Member
    Data de Registo
    Apr 2008
    Posts
    537

    Por Defeito

    tive a ver nos sites e existem varias marcas,e em alguns dizem que algumas marcas(possivelmente concorrentes) não são de qualidade porque têm d-carnitina.

    como se sabe qual a melhor marca?

    existe em barras,ampolas,liquidos,capsulas,enfim...como se sabe o que é melhor e mais puro?

  18. #17
    Senior Member
    Data de Registo
    Dec 2007
    Posts
    476

    Por Defeito

    L-Carnitina é similar em todas as marcas, a formula mais comum e que rende mais é em cápsulas. Escolhe sempre uma L-Carnitina que tenha 500mg por cada cápsulas, normalmente em cápsulas vem sob forma de L-Carnitina Tartrato.

    Marcas com Reflex Nutrition, Gold Nutrition, Twinlab, Optimum Nutrition, Universal, são marcas de qualidade.

  19. #18
    Senior Member HEAVYLIFT's Avatar
    Data de Registo
    Jul 2008
    Posts
    744

    Por Defeito

    A melhor é msm a ALCAR acetil-L-carnitina
    a l-carnitina é um sulemento bastante eficaz até , se e so se , se fizer sistematicamente (i.e.: diariamente ou qse ) bastante cardio ( 1 hora min) acima das 140 bpm.
    para quem n faz cardio, partica apenas musculaçao, ou faz apenas dieta simplesmente (o k é completamente legitimo) é um suplemento completamente inutil.

  20. #19
    Senior Member Sabino's Avatar
    Data de Registo
    Sep 2009
    Localização
    Gaia
    Posts
    219

    Por Defeito

    Aproveito para desenterrar este tópico, uma vez que é aquele que me parece onde houve mais troca de ideias sobre os efeitos da carnitina.

    Que dizem deste novo estudo sobre a carnitina?
    __________________________________________________ _

    L-Carnitina ajuda na recuperação dos músculos

    A carnitina está-se a tornar-se num suplemento fundamental no mundo da nutrição desportiva. Já há muito se sabe que a l-carnitina elimina gordura e fornece energia extra durante o treino. Porém, um estudo recente trouxe notícias mais espectaculares: a carnitina também interage com as hormonas anabólicas, acelerando a recuperação pós-treino [*1].

    No estudo, dez homens treinados consumiram ou 2 gramas de l-carnitina por dia ou um placebo. No final dos 21 dias de suplementação, os cientistas constataram que a carnitina aumentou o número de receptores androgénicos nos músculos [*2].

    Um estudo anterior já tinha mostrado que a carnitina interage com a testosterona, ao se ter constatado que ela é capaz de tratar a disfunção sexual masculina [*3]. Este novo estudo mostrou que a carnitina estimula a síntese da testosterona, logo, promove a recuperação muscular.
    __________________________________________________ _________________________________
    RFERÊNCIAS OU NOTAS:

    [*1] – Kraemer, W. et. al., Androgenic Responses to Resistance Exercise: Effects of Feeding and L-Carnitine, Vol. 38, Issue 7, págs. 1288-1296, Julho 2006 (LINK)

    [*2] – Um androgéno é um composto natural ou sintético que estimula e controla o desenvolvimento das características masculinas. Receptores androgénicos são receptores que ligam dois tipos de androgénos: a testosterona e a dihidrotestosterona. São estes receptores que permitem o desenvolvimento e manutenção das características masculinas. O ritmo de desenvolvimento destas características está dependente da manifestação destes componentes biológicos.

    [*3] – Cavallini, G. et. al., Carnitine versus androgen administration in the treatment of sexual dysfunction, depressed mood, and fatigue associated with male aging, Urology. 63(4):641-6, Abril 2004 (LINK)


    Fonte: http://logon.prozis.pt/l-carnitina-a...-dos-musculos/

  21. #20
    Senior Member
    Data de Registo
    Sep 2009
    Posts
    190

    Por Defeito

    Já tomei uma embalagem de L-carnitina e baixou sim a percentagem de massa gorda ai uns 10%.

    Mesmo assim há melhores produtos como por exemplo lipo6.

  22. #21
    Junior Member celtic's Avatar
    Data de Registo
    Aug 2010
    Posts
    21

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por okidoki Ver Post
    Já tomei uma embalagem de L-carnitina e baixou sim a percentagem de massa gorda ai uns 10%.

    Mesmo assim há melhores produtos como por exemplo lipo6.


    tanto ipa .. nao acredito..
    ja agora L -Carnitina é melhor do que os termogenicos porque usar lipo6 ??

  23. #22
    Member
    Data de Registo
    May 2010
    Localização
    Lisboa
    Posts
    99

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por celtic Ver Post
    tanto ipa .. nao acredito..
    ja agora L -Carnitina é melhor do que os termogenicos porque usar lipo6 ??
    A L-Carnitina não é melhor que os termogénicos.
    São coisas diferentes.
    Eu tomo Lipo6X, L-Carnitina e CLA e posso-te dizer que em 2 semanas (com bastante cardio obviamente), emagreci 3 kilos.
    Nenhum destes 3 produtos são milagrosos, aliás, se não tiveres uma alimentação minimamente decente e não praticares desporto, não te vão servir de nada

  24. #23
    Member
    Data de Registo
    Oct 2010
    Posts
    54

    Por Defeito

    Ja tomei Carnitina e noto um "boost", nao tanto em ginásio, mas principalmente quando jogo uma futebolada..

    Em relaçao á massa gorda, nao me parece que faça grandes efeitos! Vou experimentar LIPO 6, e aí sim estou a espera de bons resultados (com uma boa alimentaçao e sempre a treinar no limite claro)

  25. #24
    Senior Member Damian's Avatar
    Data de Registo
    May 2011
    Localização
    Bragança
    Posts
    485

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por slip666knot Ver Post
    Ja tomei Carnitina e noto um "boost", nao tanto em ginásio, mas principalmente quando jogo uma futebolada..

    Em relaçao á massa gorda, nao me parece que faça grandes efeitos! Vou experimentar LIPO 6, e aí sim estou a espera de bons resultados (com uma boa alimentaçao e sempre a treinar no limite claro)

    So se for um "boost" do genero placebo... porque pelo que dizem serva para ajudar na "remoção" de gordura e nao para pump nenhum

  26. #25
    Senior Member PedroSilva's Avatar
    Data de Registo
    Apr 2011
    Localização
    Braga
    Posts
    3,870

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por slip666knot Ver Post
    Ja tomei Carnitina e noto um "boost", nao tanto em ginásio, mas principalmente quando jogo uma futebolada..

    Em relaçao á massa gorda, nao me parece que faça grandes efeitos! Vou experimentar LIPO 6, e aí sim estou a espera de bons resultados (com uma boa alimentaçao e sempre a treinar no limite claro)
    É normal que isso aconteça. A sua performance depende muito de como te movimentas, logo, o mais óbvio é que a L-Carnitina, funcione de melhor forma no futebol (grande movimentação) do que na musculação (menos movimentação, maior intensidade)..

  27. #26

    Por Defeito

    para malta que joga futebol federado isso deve acusar no controlo certo ?

  28. #27
    Senior Member PedroSilva's Avatar
    Data de Registo
    Apr 2011
    Localização
    Braga
    Posts
    3,870

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por zemanelunited Ver Post
    para malta que joga futebol federado isso deve acusar no controlo certo ?
    Acho que não, desde que seja um suplemento/marca certificada. Por ser pnas um suplemento, n vai acusar nada e para além disso são muitas as marcas que se certificam disso e por isso mesmo, colocam taç informação no rotulo..

  29. #28

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por PedroSilva Ver Post
    Acho que não, desde que seja um suplemento/marca certificada. Por ser pnas um suplemento, n vai acusar nada e para além disso são muitas as marcas que se certificam disso e por isso mesmo, colocam taç informação no rotulo..

    Mas mesmo assim é um pouco arriscado PedroSilva, sabes que agora qualquer coisa acusa, além disso tenho medo de perder peso com isso.

  30. #29
    Senior Member PedroSilva's Avatar
    Data de Registo
    Apr 2011
    Localização
    Braga
    Posts
    3,870

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por zemanelunited Ver Post
    Mas mesmo assim é um pouco arriscado PedroSilva, sabes que agora qualquer coisa acusa, além disso tenho medo de perder peso com isso.
    Então pk tas interessado na L-Carnitina? Não é para perder peso?!

  31. #30
    Senior Member Damian's Avatar
    Data de Registo
    May 2011
    Localização
    Bragança
    Posts
    485

    Por Defeito

    Citação Originalmente Colocado por PedroSilva Ver Post
    Então pk tas interessado na L-Carnitina? Não é para perder peso?!

    Ele nao deve querer perder muito peso deve querer mesmo é definir certo? ao eliminar a gordura...pelo menos tentar eliminar gordura mantendo a massa... o que é um pouco complicado...


    Penso que a Whey e uma boa alimentacao seja suficiente achooo.. nao sou muito expert em suplementos

Tópicos semelhantes

  1. Dúvida quanto a L-Carnitina
    Por Jericoolico na secção Desporto / Fitness
    Respostas: 12
    Último Post: 03-01-11, 13:42:13
  2. L-carnitina
    Por tmfr na secção Desporto / Fitness
    Respostas: 1
    Último Post: 29-11-10, 23:37:39
  3. Secar: L-Carnitina ou Mega CLA?
    Por BrAmaral na secção Desporto / Fitness
    Respostas: 15
    Último Post: 09-03-10, 19:14:09
  4. L-Carnitina: faz ou não efeito?
    Por Hellguest na secção Desporto / Fitness
    Respostas: 10
    Último Post: 26-05-09, 13:30:11

Regras de Colocação

  • Não pode criar tópicos
  • Não pode responder
  • Não pode colocar anexos
  • Não pode editar os seus posts
  •  

A Motorpress Lisboa S.A. não pode ser responsabilizada pelas opiniões, imagens, links ou outros conteúdos submetidos pelos utilizadores deste Fórum.
Este Website encontra-se registado na Comissão Nacional de Protecção de Dados.